""

Compartilhe!

Quanto mais você compartilha, mais pessoas você ajuda. Nossa missão é compartilhar esperança e ajudar a todos.

Quarentena e Isolamento

Equipe Vivenciar.net

Cidades vazias, o comércio e os serviços fechados, as ruas sem movimento. Olhamos para o noticiário e não sabemos o que pensar e nem no que acreditar. Surgem o medo e a ansiedade, que podem provocar estresse e até mesmo nos deixar em pânico. E não sabemos como lidar com isso. Você está em sua casa? O seu lar se tornou um escritório, mas você não dá conta do trabalho por causa da rotina da casa e das crianças com a escola? Você está sozinho e com medo? Queremos estar ao seu lado nesse momento difícil que estamos atravessando.

Introdução:

Vivenciar é uma plataforma virtual que permite a troca de experiências e o diálogo. Estamos te convidando a usar esta ferramenta. Assim, você poderá se comunicar com pessoas que estão dispostas a te escutar e acompanhar neste tempo difícil. Nossa equipe de voluntários quer trazer consolo e esperança, além de ouvir o que você tem para compartilhar conosco.

Como você vai ver, te oferecemos conteúdos relevantes sobre vários assuntos que, atualmente, afetam a todos e fazem parte das circunstâncias que envolvem pessoas em quarentena: ansiedade, estresse, depressão, solidão, perdas, medo, criação de filhos e violência, são alguns dos assuntos sobre os quais você encontrará muito mais informação em Vivenciar.

Nestes tempos em que vivemos, é muito importante lembrar que a fé é um motor que nos sustenta e que nos traz paz. Sempre foi assim ao longo da história; está em nossa natureza. “Viver sem fé é uma dor”, como disse certa vez o escritor argentino Alejandro Dolina. Venha vivenciar com a gente.

Ansiedade:

Neste ano de 2020 a humanidade inteira está atravessando um tempo de muita incerteza que não tem precedentes desde que nos tornamos um mundo globalizado. É uma época diferente. É difícil aceitar esta nova realidade que temos que enfrentar. O novo Coronavírus mudou completamente a nossa vida, modificando rotinas, trabalhos e sistemas inteiros… Prejudicando deste o maior até o menor, nesta engrenagem chamada mundo. Ninguém está imune nestes momentos de crise. Por causa desta incerteza e das consequências desta situação, estamos experimentando muita ansiedade, enquanto aguardamos que alguém anuncie a cura. E como lidar com essa ansiedade? Visite a nossa página sobre esse tema.

 

Estresse:

Presos em casa e dependentes das notícias. Ainda assim fazemos muitas perguntas a respeito do que está acontecendo: Por que tudo isso? O que vai acontecer depois? Quanto tempo mais teremos que esperar? Como vai ficar a escola das crianças? E o meu trabalho?Sem dúvida, o estresse está à flor da pele. Ele modifica a nossa rotina. E tudo isso nos obriga a parar, a “desligar o motor do carro da nossa vida” e perceber nossa total fragilidade. Se você sente que esse estresse está passando dos limites, dê uma olhada nesse conteúdo que preparamos para ajudar você!

 

Queremos te ouvir e te ajudar!

Temos pessoas capacitadas esperando para te atender. Você poderá trocar mensagens com nossos voluntários.

Nem tudo está suspenso

Nestes dias em que suspendemos muitas das nossas atividades para nos isolarmos e evitar o Coronavírus, algumas coisas ainda podemos fazer e desfrutar...

Solidão:

A quarenta tem comprovado que, como seres humanos sociáveis, nossa essência não é viver isolados e nem trancados. Isto é o maior desafio para os dias à nossa frente. Não fomos feitos para ficar sozinhos, mas para viver em sociedade, para nos relacionar e criar vínculos. Por isso, o fato de saber que parte do antídoto desta pandemia é o afastar-se do outro, nos desestabiliza ainda mais.Por outro lado, este pode ser um período muito proveitoso para aprender e entender as relações virtuais com o uso dos novos meios de comunicação que a internet possibilita, especialmente as redes sociais. Talvez estejamos distantes, mas não precisamos ficar isolados. Saiba mais sobre a solidão nesta página.

 

Depressão:

O desânimo é um grande inimigo dos nossos pensamentos nestes tempos difíceis. Ela pode chegar como uma sombra e se instalar em nossa mente e coração, abatendo ainda mais o nosso estado de ânimo. Este é um fato que não podemos ignorar, especialmente porque os meios de comunicação vêm a nós com uma enxurrada de informações pessimistas. Isto pode nos afetar muito, a ponto de não podermos mais aguentar. Se este é o seu caso, e você acha que não tem mais saída, temos mais informações sobre a depressão aqui.

 

Criando os filhos:

Para muitos, este é um tempo completamente diferente na rotina familiar. Alguns dizem que agora “passam mais tempo com a família e todos se conhecem melhor”. Quem diria que uma pandemia fosse a responsável por nos fazer conhecer mais os que vivem conosco, ou até mesmo a quem dorme ao nosso lado! A vida nos leva a um ritmo tão acelerado que os filhos crescem, os anos passam e, de repente, nos damos conta de que perdemos muito. O tempo voa.

Viver isolados com os filhos em casa é um desafio diário. Isso gera novas rotinas e temos que aprender a lidar com as ansiedades deles, suas perguntas e a necessidade constante de preencher o tempo. Essa é uma forma de ver “o copo meio cheio”. Parece muito bom, mas sem dúvida, é um novo paradigma de como viver em família e criar os filhos com amor. Esse é o tema desta página que preparamos para você.

 

Violência:

Nos dias de hoje, nossos lares são o único refúgio em meio às loucuras da vida. Mas sabemos que para muitos é justamente o contrário, já que vivemos em tempos de crise familiar e isso pode fazer de nossas casas, lugares onde não queremos estar. Essa é a triste realidade que muitas pessoas sofrem normalmente, e ainda mais agora, durante este tempo em que precisamos ficar todos juntos dentro de casa. Muitas pessoas não sabem o que fazer ou onde buscar ajuda. Temos uma página sobre isso.

 

Não desanime – há esperança

Apesar de toda esta situação e dos problemas que estamos enfrentando, temos a esperança, a certeza de que vamos superar tudo. Certamente não será fácil. Já não está sendo fácil agora. Por isso preparamos esta página para ajudar você, trazendo orientação e consolo.

Só podemos pedir a Deus que esteja conosco e nos guarde. Daqui a algum tempo, vamos voltar a nos reunir, a nos abraçar e a comemorar. E teremos aprendido muitas lições. Cada um terá uma experiência para contar. E poderemos fazer isso pessoalmente, cara a cara, olho no olho, terminando com um abraço bem apertado.

 

Mais conteúdos:

Aqui você encontra alguns conteúdos e reflexões para esse tempo de Pandemia e Coronavírus. Visite, leia e navegue nas páginas para saber mais.

https://ielb.org.br/noticias/visualizar/6851/uma-coroa-na-cabeca-de-um-virus

https://ielb.org.br/noticias/visualizar/6836/e-preciso-sentir-medo

https://ielb.org.br/noticias/visualizar/6855/a-quarentena-e-as-mudancas

Uma reflexão que vale a pena ler:

Palavras do escritor C. S. Lewis (conhecido pelo livro “As Crônicas de Nárnia”), escritas em 1948, três anos depois da explosão atômica da bomba de Hiroshima. Esta reflexão é mais atual do que nunca. Ele escreveu em resposta à pergunta “Como viveremos numa era atômica?” Para compreender bem, substitua “bomba atômica” por “Coronavírus” e o texto fica ainda melhor.

“…viveremos da mesma maneira que você viveria no século 16 quando a ‘peste’ visitava Londres quase todos os anos, ou como você viveria na era Viking quando os invasores da Escandinávia poderiam chegar a qualquer noite e cortar suas gargantas; ou na realidade, como você já está vivendo numa era de câncer, de sífilis, de paralisia, uma era de bombardeamento aéreo, de acidentes ferroviários, de acidentes rodoviários.” Em outras palavras, não devemos começar a exagerar a ‘novidade’ da nossa situação.

Você, bem como todos os que você ama, já estavam sentenciados à morte antes da bomba atômica (vírus); e uma boa parte de nós iremos morrer de uma maneira desagradável. Nós, de fato, temos uma grande vantagem sobre os nossos antepassados – a anestesia.A primeira coisa a fazer é controlar-se. Se todos nós vamos ser destruídos por uma bomba atômica, quando a bomba (vírus) chegar, que ela nos encontre fazendo as coisas sensatas e humanas – orando, trabalhando, ensinando, lendo, ouvindo música, dando banho nas crianças e não amontoados como ovelhas amedrontadas pensando sobre bombas. Elas podem quebrar os nossos corpos (um micróbio pode fazer isto – no nosso caso um vírus) mas elas não precisam dominar nossas mentes.”

Present Concerns, editado por Walter Hooper, Harper Collins, Nova Iorque, 2017. ‘On Living in an Atomic Age’, publicado na revista Informed Reading, vol. VI, 1948, pp. 78-84.