Vamos entender melhor a culpa?

28/07/2020

Por: Thiago Heine – Psicólogo em São Paulo, SP – Brasil

Falar sobre culpa é falar sobre um sentimento que é presente na vida de todos nós, desde a infância, não é mesmo?

A culpa é uma sensação de que a gente falhou em algo, conosco mesmos, ou com o outro. A culpa sempre estará relacionada ao passado, a uma ou mais coisas que deixamos de fazer ou que fizemos e, depois, nos arrependemos.

Você pode achar que tem culpa por algo que fez, assim como você pode sentir culpa por algo que nem chegou a fazer.

Pessoas ansiosas tendem a viver no futuro, assim como pessoas deprimidas tendem a viver no passado. E, as pessoas ansiosas têm uma tendência maior de sentirem culpa justamente por anteciparem problemas ou situações futuras, sendo que elas nem aconteceram ainda. Sabe?

Pessoas que têm culpa também são pessoas que costumam ter medo de errar ou que querem controlar as situações. Mas, você sabia que a culpa pode estar associada a uma prepotência que temos também? Pois é.

Muitas vezes achamos que, por alguma ação nossa ou alguma fala nossa, causamos algo de ruim para outra pessoa. Um exemplo: insistimos para um amigo nos visitar e, quando ele vem, bate o carro. Vamos pensar: “não devia tê-lo chamado para vir em casa”. Porém, ele ter batido o carro foge do nosso controle, não nos diz respeito. E isso é perigoso, porque podemos dar mais valor do que o necessário para essa prepotência e, com isso, essa culpa pode ganhar um peso tão grande que nos sufocará.

De que maneira podemos aliviar a culpa então? Podemos utilizar uma comunicação não violenta conosco, assim como termos mais empatia também conosco e, principalmente, termos consciência das nossas intenções. Iremos errar mesmo querendo fazer o bem, mas será muito mais fácil nos perdoarmos caso a intenção tenha sido genuína e bondosa.

Não deixemos a culpa ser maior do que precisa ser. Visite nossa página “De quem é a culpa?”