""

Compartilhe!

Quanto mais você compartilha, mais pessoas você ajuda. Nossa missão é compartilhar esperança e ajudar a todos.

As preocupações – o que fazer quando surgem.

Por: Itza Romero - Psicóloga

As preocupações são parte de nossa vida. Continuamente somos confrontados com situações adversas que ameaçam a nossa estabilidade física, emocional, mental e espiritual.
A intranquilidade e a falta de sossego por causa das preocupações nos tiram a alegria de viver e de experimentar momentos agradáveis. Muitas vezes pensamos que não há alternativas para os problemas, que não temos recursos materiais ou emocionais, ou mesmo familiares e sociais. Isso pode nos causar uma imensa dor emocional.

Você está quase entrando em colapso, de tantas preocupações?

Te convidamos a vivenciar com a gente, lendo nossas dicas e estratégias para te ajudar a enfrentar as preocupações.

Estudos afirmam que 85% dos problemas que nos preocupam não irão se concretizar. Entre os 15% que se concretizam, a maioria das pessoas entrevistadas afirmam que a situação não era tão impossível de resolver.

Introdução

A maioria das preocupações têm a ver com o medo que sentimos por causa de situações que ocorrem ao nosso redor ou que vivemos em nossa rotina. Sofremos em parte por causa da angústia causada por uma situação econômica difícil, ou por questões de saúde, uma perda importante, ou o desemprego, as contas que se acumulam, ou por não poder atender às necessidades de nossos filhos, por exemplo.

Muitas vezes nos preocupamos por coisas que, talvez, nem irão acontecer. Mas, enquanto esperamos que aconteçam, a ansiedade nos consome porque nos preocupamos, pensamos demais naquilo que acreditamos que pode acontecer. Sabemos que é necessário planejar, estipular metas e ter objetivos futuros. Mas precisamos nos concentrar no agora e deixar que cada dia venha com seus desafios, para trabalharmos em cada um deles dia após dia.

Pense nas seguintes perguntas:

  1. Quais são as situações que mais me preocupam?
  2. Qual é a minha reação diante das preocupações?
  3. Com quem posso conversar quando me sinto preocupado? Com familiares, amigos, um guia espiritual, um psicólogo ou psicóloga?

 

Tanto as preocupações como a ansiedade podem estar presentes em nossa vida, e isso é algo normal. Mas, se elas se tornam persistentes, podem tornar-se um problema de saúde mental.

Queremos te ouvir e te ajudar!

Temos pessoas capacitadas esperando para te atender. Você poderá trocar mensagens com nossos voluntários.

MAS, O QUE É A PREOCUPAÇÃO?

Há muitas definições para “Preocupação”. Em geral, dizemos que é ocupar-se antecipadamente de algo, adiantar ou pensar de antemão em algo que pode ou não ocorrer. Olhando por esta perspectiva, a preocupação pode ser construtiva, porque nos mantém alertas e nos move no sentido de nos adaptarmos à realidade, para buscar uma solução para um problema antes mesmo de que ele ocorra.

Mas, a preocupação excessiva produz em nós pensamentos e temores confusos, que invadem a nossa mente. Nosso cérebro começa a liberar substâncias que são enviadas para o corpo e que podem ocasionar mal-estar físico e emocional e, por consequência, afetar nosso comportamento. Alguns estudos afirmam que podem aparecer, também, estados de inquietude, nervosismo, desespero, tristeza, culpa ou inveja.

As preocupações e a ansiedade podem estar presentes em nossas vidas como um motor que nos move a buscar soluções diante dos problemas. A diferença entre preocupação e ansiedade é que a preocupação se refere a pensamentos em torno de coisas que precisamos resolver, enquanto a ansiedade é uma reação do nosso organismo diante das coisas que representam um perigo ou uma ameaça. Por exemplo: as preocupações com a saúde, com a segurança, com as necessidades básicas de alimentação e de sobrevivência, podem evoluir para um estado de ansiedade, se não resolvermos estas questões, porque elas acabam se tornando uma ameaça à nossa vida.

Podemos dizer que tanto as preocupações como a ansiedade podem estar presentes em nossa vida, e isso é algo normal. Mas, se elas se tornam persistentes, se não podemos controlar cada uma delas e persistem por mais de três semana, podem tornar-se um problema de saúde mental.

O QUE FAZER QUANDO SURGEM AS PREOCUPAÇÕES?

Para começar, pergunte a si mesmo: Há alguma coisa que eu possa fazer agora para mudar a situação? Se a resposta for “Sim”, dê um jeito de fazer o que você julga necessário para isso. Se a resposta for “Não”, você precisa olhar a situação por outra perspectiva. A boa e velha metáfora do “copo meio cheio ou meio vazio” é sempre muito útil e importante. Como está o seu copo? O que devo fazer se estiver vendo o copo sempre “meio vazio”?

A seguir oferecemos uma lista de estratégias que podem ser aplicadas quando você estiver com muita preocupação ocupando sua mente:

 

 

Estratégias emocionais para quando estiver muito preocupado:

  • Pare o que está fazendo, pense no que está deixando você assim e reflita: Se fosse um amigo seu com esta preocupação, o que você diria a ele?
  • Busque um espaço em que você se sinta tranquilo, relaxado, e descanse alguns minutos com os olhos fechados. Imagine momentos agradáveis em que você se sentiu feliz, pense em pessoas que fazem você se sentir tranquilo.
  • Procure um grupo de apoio com amigos, pode ser um grupo online em que você possa compartilhar suas ideias, dar risadas, aprender com as experiências dos outros e dividir as suas preocupações.
  • Não sabemos o que acontecerá no futuro, mas podemos dar atenção ao momento presente. Ao invés de perguntar “como vou resolver isso ou aquilo?”, pergunte “o que eu posso fazer agora mesmo?” ou “o que eu preciso fazer agora mesmo?”.
  • Mantenha a esperança e compartilhe as suas preocupações com alguém de sua confiança, seja um familiar, um amigo ou um conselheiro.

 

Estratégias mentais para quando estiver muito preocupado:

  • Readapte a sua vida, mantenha o foco nos objetivos práticos e que você pode alcançar. Estabeleça metas de curto, médio e longo prazos.
  • Dedique um tempo para fazer atividades que ajudem você a cultivar pensamentos enriquecedores e a abrir a sua mente. Leia, estude algo, medite, faça uma oração a Deus.
  • Faça uma lista das suas habilidades e capacidades. Fortaleça algumas delas, adquira novos conhecimentos. Observe as oportunidades para colocá-las em prática em situações difíceis e complicadas.
  • Quando estiver tendo pensamentos persistentes e recorrentes, aplique uma técnica para conter isso. Esta técnica pode ser utilizar uma palavra como “Pare” ou “Calma” em algum objeto, uma pulseira, algo que você possa sempre manusear e lembrar-se de “parar” o pensamento recorrente.

 

Estratégias físicas para quando estiver muito preocupado:

  • Pratique alguma atividade física para relaxar os músculos, faça exercícios aeróbicos, caminhe num bom ritmo e procure alongar-se um pouco.
  • Faça exercícios respiratórios quando sentir que os pensamentos de preocupação estão começando a surgir. Procure prestar atenção à sua respiração. Inspire contanto até quatro, segure a respiração contando até seis e expire lentamente soltando o ar pela boca contando até oito.
  • Organize o seu tempo para realizar cada atividade, trabalho ou estudo. Inclua um tempo para descansar e procure manter um bom horário para dormir.
  • Evite consumir muitos alimentos açucarados, café, chás, evite o fumo e as bebidas alcoólicas. E nunca utilize medicamentos ou calmantes sem o acompanhamento de um profissional de saúde.

 

Vamos conhecer melhor seus níveis de preocupação:

Form
1
2
3
4
5
6
7
Mensagem para você

As perguntas deste Quiz vão te ajudar a conhecer o nível de suas preocupações. Nas últimas duas semanas, com que frequência ocorrem as seguintes situações?

Você se sentiu nervoso e ansioso, ou com os nervos “à flor da pele”.

Você não conseguiu manter o controle das suas preocupações.

Você se preocupou demais por vários motivos diferentes.

Você sentiu que é difícil relaxar.

Você se sentiu tão inquieto que não conseguiu ficar parado por um minuto.

Você se irritou ou ficou nervoso facilmente.

Você teve medo de que algo terrível estava para acontecer ou podia acontecer.

Para responder o Quiz e necessário fazer Login ou Cadastrar-se

Login   Cadastrar-se

Sem sintomas de ansiedade

Neste nível não se observam sintomas de ansiedade, o que é um indicativo de que, nestes momentos, você se sente tranquilo. Sugerimos que você cuide de sua saúde praticando atividades físicas, tendo um bom tempo para dormir, uma alimentação balanceada e fazendo atividades relaxantes que você goste. Tudo isso contribui para a sua saúde mental.

Ansiedade leve

Sentir uma certa ansiedade leva as pessoas a agirem diante de situações que são preocupantes. É possível que você sinta alguma inquietude ou nervosismo, mas você consegue realizar as suas tarefas diárias. Recomendamos que você mantenha o foco em resolver uma coisa de cada vez, mantendo um estado de calma diante das situações que se apresentam em sua vida. Converse com alguém de confiança sobre alguma preocupação que você tem.

Sintomas moderados de ansiedade

A sua pontuação mostra que há uma luz amarela se acendendo, indicando que você precisa prestar atenção aos incômodos que você sente, nas sensações de seu corpo, nas emoções e nos pensamentos. Praticar exercícios de respiração e relaxamento podem ajudar a controlar a ansiedade. No entanto, se você percebe que esses incômodos são constantes, é recomendável procurar um especialista em saúde mental, que poderá dar mais orientações para poder lidar com estes sintomas.

Sintomas importantes de ansiedade

Quando a ansiedade tem níveis muito altos, você pode chegar a experimentar vários sintomas como angústia, medo, insônia, dificuldade para se concentrar e um forte esgotamento. Neste nível é necessário buscar ajuda especializada, pois enfrentar tudo isso sozinho é difícil e você pode desenvolver um problema de saúde mental mais sério. Um psicólogo ou um psiquiatra podem ajudar você a superar sua ansiedade através de uma terapia adequada.

Conclusão

E o que Mais?

Como seres humanos, estamos constituídos por várias esferas que formam o nosso ser integral. Estas esferas são a biológica, a psicológica, a social e a esfera espiritual. Cada uma destas partes precisa ser cuidada e fortalecida, para podermos responder a cada circunstância da nossa vida de maneira adequada, minimizando os riscos de sairmos traumatizados ou com sequelas.

Há várias formas de cuidar de nossas emoções, de nossa área mental e física. Mas, se você tem sentido preocupações que se apresentam cada vez mais fortes, gerando estresse e angústia, e sentindo que você não dá conta delas, procure um especialista, um psicólogo ou um psiquiatra, que poderão ouvir você, orientar corretamente e dar o tratamento adequado, caso seja necessário.

Você pode cuidar da sua esfera espiritual também. Cultive a fé em Deus. Conheça um pouco mais sobre como Cristo pode ajudar você neste caminho para vencer as preocupações.