O que fazer com os meus pensamentos?

11/09/2020

Por: Kamila Fukue – Psicóloga em Canoas, RS – Brasil.

Chega um momento de nossas vidas que a dor é tão intensa que não cabe mais em nós, então transbordamos em sofrimento. Não temos forças e nem ideias de como suportar ou superar tal situação.

A suicidologista Karina Fukumitsu faz a seguinte pergunta em uma de suas palestras: levante a mão quem nunca pensou na morte como solução para seu sofrimento? Eu mesma não levanto minha mão.

Então, o que fazer quando a nossa mente nos diz que a morte é a única “solução” para acabar com a dor?

Conhecer o que acontece antes do pensamento suicida é muito importante. Situações como perdas recentes, dinâmica familiar conturbada, separações, aposentadoria, ter sofrido abuso, diagnóstico psicológico, doenças orgânicas ou crônicas, estão associadas ao surgimento de pensamentos suicidas. Junto desses pensamentos, ocorrem sentimentos que vou chamar aqui de “os 4 Ds.”

DESAMPARO: pensamento de que “não há ninguém que pode ajudar ou entender o que estou passando”.

DESESPERANÇA: “sempre foi assim”, “isso nunca vai mudar”.

DESESPERO: “não aguento mais”, “não vou suportar mais”.

DEPRESSÃO: “tô sem vontade”, “não tenho ânimo pra fazer qualquer coisa”, “nada (ou quase nada) para mim é bom ou me dá alegria/prazer”.

Você já se sentiu assim ou até mesmo já disse frases como essas em algum momento da sua vida? Talvez você sinta e pense tudo isso neste exato momento em que parou para ler este texto. Saiba que estes pensamentos vêm e vão na nossa cabeça, alguns duram mais tempo, outros menos, como nuvens passando pelo céu.  Apesar da dor que vem com eles, ainda assim eles não definem quem você é e nem comandam o que você faz. Eles são pensamentos. E você é aquele que observa esses pensamentos passando pela sua cabeça.  Lembre disso!

E você pode fazer mais:

Fale com alguém, mesmo com seus pensamentos insistindo o contrário.  A tristeza prega peças e uma delas é a de que “ficar sozinho vai ser melhor”, “vou incomodar se falar com alguém”.  Evitar falar aumenta a duração e a intensidade desses pensamentos na sua cabeça a ponto de você enxergá-los como um único caminho.

E isso só vai afastar você ainda mais da vida que você gostaria de viver.

Pode ser que falar melhore seu dia em apenas 1%, e esse é o processo da mudança: ela acontece em micropassos. Comece hoje, faça algo saudável que deixará seu dia 1% melhor (sentar-se na cama, colocar os pés no chão, tomar mais água, pesquisar números de terapeutas…)

Faça mesmo se não tiver vontade, ela virá depois dos primeiros micropassos.

Estamos aqui para ajudar você nessa caminhada!

Links Úteis:

Instagram: @eurekka.me

https://eurekka.me/depressao-e-suicidio/

CVV – https://www.cvv.org.br/